Acusado de espancar jovem bonjardinense é preso em Nova Friburgo

9 / 06 / 2012

Policiais militares do 11º BPM, de Nova Friburgo, prenderam na madrugada do último dia 5, terça-feira, Uanderson da Silva Tardoni, 18 anos, mais conhecido como Batoré, acusado de espancar violentamente a jovem bom-jardinense, Pâmela Ornellas, 24 anos, na madrugada de sábado, 2. Uanderson foi detido na Avenida dos Ferroviários, no Jardim Ouro, dirigindo um Gol cinza, placa LCM 5671, de propriedade de Pâmela, que se encontra internada em estado grave no Hospital Raul Sertã. No carro, os policiais também encontraram a bolsa e o celular da vítima. Pâmela não havia voltado para casa e estava desaparecida desde sábado, até ser encontrada desacordada por populares na segunda, dia 4, próximo ao cemitério da Trilha do Céu, na localidade de Fazenda da Laje, e levada para o hospital. A polícia informou que Pâmela e Batoré estavam participando de um churrasco em Conselheiro Paulino.

O fato foi registrado na 151ª DP, de Nova Friburgo, onde se constatou que Uanderson tem diversas passagens pela polícia por posse de entorpecentes, delito que vem cometendo desde os seus 15 anos. Ainda sob efeito de drogas quando era interrogado na delegacia, Uanderson confessou o crime e apontou como seus fornecedores supostos traficantes do Alto do Floresta. Com base nas informações, os policiais chegaram até um adolescente de 17 anos, que seria o responsável pelo tráfico de drogas no local. Na residência do acusado a polícia encontrou 116 papelotes de cocaína e um revólver calibre 38. Ainda no Alto do Floresta, na casa de Charles dos Santos de 19 anos, a polícia apreendeu mais duas armas de fogo. Uanderson e Charles foram então detidos e encaminhados a presídios na cidade do Rio de Janeiro, sendo o adolescente infrator foi apresentado ao Juizado da Infância e Juventude friburguense.

RJ InterTV Serramar, Bom Dia Rio, jornal A Voz da Serra, Portal G1 e diversos sites noticiosos, o crime teve requintes de crueldade, pois o suspeito tentou matar a jovem a pedradas, para roubar o carro da vítima o que configuraria crime de latrocínio. Pamela teria conhecido o suspeito em um bar de Bom Jardim e Uanderson da Silva teria sido encontrado após uma denúncia anônima. Segundo a polícia, ele confessou o crime e indicou a localização do carro roubado. “Imediatamente após localizado, ele confirmou todos os locais por onde passou, inclusive onde agrediu a vítima e como foi a ação”, disse o comandante do 11º BPM, tenente-coronel Marcelo Freiman.

Dentro do carro da mulher, além de sua bolsa e o celular, a polícia também encontrou a pedra usada no crime. “Ele tentou matar a jovem, que está no hospital entre a vida e a morte, roubou o carro dela. Ele é envolvido com drogas, tráfico, assalto a mão armada e agora essa tentativa de homicídio”, disse a delegada Grace Arruda, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam).

Detalhes do crime – Segundo o jornal A Voz da Serra, o crime bárbaro cometido contra jovem bom-jardinense, que teria sido agredida com golpes de paralelepípedo por jovem de 18 anos em noite de horror na Fazenda da Laje, chocou toda a população de Bom Jardim e Nova Friburgo.  Pamela Ornellas foi violentamente espancada e teve a face desfigurada com golpes de paralelepípedo na cabeça. A agressão ocorreu na Estrada Fazenda da Laje, próximo ao cemitério Trilha do Céu, depois que Batoré e a mulher retornaram de um bar em Bom Jardim. Ao ser preso, Batoré confessou a tentativa de assassinato e surpreendeu os policiais ao declarar que toda vez que usa drogas tem alucinações e desejo de matar. “Tenho sede de sangue”, disse friamente aos policiais militares.

Interrogado pelos PMs, Batoré revelou que conheceu a vítima num churrasco na sexta-feira passada, 1º, em Bom Jardim, e de lá acompanhou-a até um bar na localidade conhecida como Barra de Santa Teresa. No bar, Batoré envolveu-se numa briga e convenceu a mulher a acompanhá-lo até Nova Friburgo. Eles viajaram no Gol da vítima e já no Alto do Floresta, o Morro do Dedé, Batoré desviou a rota, seguindo para a Fazenda da Laje, com a desculpa de adquirir cocaína na casa de um amigo.

Num trecho ermo e sem iluminação da estrada ele cometeu a barbaridade. Após agredi-la violentamente, Batoré recolheu os documentos da vítima e a abandonou na estrada, acreditando que estava morta. A mulher só foi encontrada agonizante por populares, que acionaram a polícia. O Corpo de Bombeiros a removeu para o hospital numa UTI móvel. Batoré foi conduzido à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), onde foi autuado e depois transferido para o Rio de Janeiro.

A operação policial foi realizada pelas equipes do Patamo 1, integrada pelo sargento Deusedino, cabo Claussen e soldado Diogo e do Patamo 2, sargentos Sainato e Demani e soldados Severo e Denis.

Fonte: Jornal Mais BJ